fbpx

Quando trabalhamos em um lugar que não exige uniforme, normalmente é aquele dilema no dia anterior:

Com que roupa eu vou amanhã?

Ou quando a empresa estimula o casual friday, o pensamento pode ser:

Amanhã eu vou arrasar!

 

Embora essa seja uma maior inquietação feminina, os homens também devem prestar atenção e ter cuidado. Não é porque a empresa não dita regras de como se vestir que devemos nos esquecer do bom senso e ir de qualquer jeito ou ainda ousar fora da medida.

 

Nossa aparência é tão importante, que normalmente nos preocupamos com ela no dia da entrevista, porque queremos causar boa impressão. Certo?

 

Então a pergunta é:

Porque se importar somente em causar uma primeira boa impressão?

E o resto dos outros dias, vale causar qualquer impressão?

 

As pessoas se esquecem que a comunicação não verbal, depois da entrevista, continua imprimindo impressões sobre nós. Somos julgados e avaliados o tempo todo, e cuidar da aparência diariamente também causa impacto no valor da nossa marca pessoal.

 

 

Você até pode estar pensando que estou falando sobre futilidades de mulherzinha, porque o que vale de verdade é como desempenha as funções, mas construímos relevância por meio das nossas redes de contatos, e dependendo da forma como você se veste pode acabar construindo uma marca negativa, ao invés de ser lembrado pela competência.

 

 

Nunca esqueço que trabalhei num escritório onde os funcionários mais antigos contam uma história de um rapaz que no dia da entrevista foi vestido formalmente, usando terno, cabelo alinhado e postura impecável, foi admitido e no primeiro dia de trabalho, seu verdadeiro estilo foi revelado, numa bermuda skatista, boné, tênis folgado, camiseta com camisa xadrez por cima e correntes. Resumo da história, todos ficaram chocados e a drástica mudança do rapaz passou uma ideia de que não era confiável, não pela roupa em si, mas porque ele se apresentou de uma maneira e chegou para trabalhar de outra totalmente diferente, claro que também conta muito a cultura da empresa, nesse caso, falei de empresa familiar de pequeno porte, que apesar de não ditar regras sobre vestimentas, não aceitou bem a drástica mudança no estilo, tanto que aquele dia nunca mais foi esquecido, por quem está lá até hoje. E se você perguntar se ele era bom no que fazia, a resposta é: ninguém comenta sobre isso.

 

O ensinamento tirado desse relato, é que quando falamos em redes de contatos, o valor como marca é determinado pelo grupo que está a sua volta e não há como controlar como e o que as pessoas percebem, mas você pode gerenciar os sinais que determinam essa percepção.

 

Antes de sair de casa pondere que embora sua empresa não se importe com formalidades, vale sempre observar algumas regrinhas que nunca cabem em nenhum ambiente de trabalho, como:

 

 1. Decote inapropriado: pense que é constrangedor para o colega de trabalho, o cliente, para todos com quem irá interagir pessoalmente, sejam homens ou mulheres. É sempre difícil aquele momento de estar frente a frente e não saber para onde direcionar o olhar.

 

2. Barriga, cofrinho e lombinho à mostra: teste seus movimentos de sentar e levantar braços, antes de sair de casa, e se mesmo assim quiser arriscar, componha seu look com alguma peça que tenha mais comprimento e que vai complementar o espaço que ficaria em exposição.

 

3. Peças que mostram a lingerie: todos usam peças íntimas, elas não precisam ser reveladas durante o expediente.

 

4. Calça transparente: preste atenção antes de sair de casa, analise se tudo está escondido.

 

5. Costas nuas: lembre-se, você não está indo para a balada, a ocasião é o seu trabalho, se for sexta-feira e depois do expediente você tem a intensão de dar aquela esticada, use um blazer (o tempo todo).

 

 6. Camiseta com furos: cuidado, muitas vezes achamos que um ou outro furinho é tão pequeno que não será notado. A má notícia é que sempre tem alguém que percebe e não pega bem. Causa a impressão de desleixo.

 

 7. Camiseta de time de futebol: demonstrar amor ao clube é ótimo, eu também gosto, principalmente se o time está em boa fase. Mas no trabalho não é apropriado. Deixe para usar esse acessório no estádio, no churrasco com os amigos, enfim, em momentos de lazer.

 

Cada um tem seu estilo, mas no trabalho mais importante que ser autêntico no modo de vestir, o que vale é passar credibilidade.

 

Obviamente que aparência não é tudo, já falamos sobre isso no artigo Como conquistar credibilidade. Dicas simples que mudam suas relações. Mas sabemos que no mundo do marketing uma embalagem bacana também conta na hora do consumidor levar o produto para casa.

 

Nunca sabemos o que o futuro nos reserva, o mercado é dinâmico, de fornecedor você pode vir a se tornar um cliente, de colaborador à sócio, o cliente pode ser seu empregador, pense que não importa sua posição hoje, as impressões ficam para sempre.

 

No mundo do marketing corporativo procure causar impacto nas suas características como profissional e não pela espontaneidade do seu visual.

Gostou desse assunto? Então leia também:

 

Sou Flavia Machado Okuyama, e trabalho com Marketing de Relacionamento com o Cliente porque acredito que as relações humanas são a peça fundamental para melhores negócios. 

Gestora da Class Marketing, uma empresa que ajuda marcas a fazerem a diferença na vida das pessoas.

Quer receber meus conteúdos? Clique aqui e não perca as novidades.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on Twitter