fbpx

Uma arte praticada nos países nórdicos vem conquistando o mundo, já ouviu falar em hygge?

Imagine que lá fora há uma grande tempestade acontecendo, muita chuva, barulho de vento forte, muitos trovões e você nem se abala com isso. Está ao lado das pessoas que ama, em frente a lareira, aproveitando uma boa taça de vinho e degustando um delicioso aperitivo, a conversa segue feliz e agradável, enquanto a natureza segue seu curso. Essa sensação de segurança e respeito de uns para com os outros, seja nas relações familiares ou no ambiente de trabalho pode ser descrita como a prática de hygge.

 

É uma atmosfera especial, uma indescritível sensação de bem-estar e a certeza de que o amanhã poderá resolver as coisas de maneira menos turbulenta. É estar por inteiro, vivendo cada momento.

 

Comparada por muitos como um sentimento de bom humor, a palavra não pode ser interpretada como um estado mental, também como muitas bibliografias trazem o sentido de aconchego e técnicas de decoração para tornar o ambiente harmônico, propício ao hygge, mas tais práticas não fazem jus ao seu real sentido. O hygge é uma energia que vem de dentro para fora, logo não tem variações de humor, nem tão pouco pode ser comprada, mas sim pode ser adquirida com treino e paciência.

Lembro quando trabalhava com operação em turismo – onde a responsabilidade com prazos de emissões é muito grande e qualquer perda desses acarreta em oneração de valores, coisa que muitos clientes não tem conhecimento e quando explicado por vezes não acreditam – em muitos momentos em que sentia extrema angústia e irritação um gerente me dizia: “calma, não responda nada hoje, deixe para amanhã, responder com raiva vai acabar estragando sua venda”. Aquelas palavras me deixavam mais acelerada ainda e na minha ingenuidade da época, pensava: o que ‘esse velho’ que nada sabe sobre operacional vem me pedindo calma, se der errado amanhã eu que vou ter que resolver. E de fato ele pouco sabia da parte prática, porém não estava com um cargo de gestão atoa, era um senhor maduro, com conhecimento de mercado e muita experiência em vendas. Não só lembro dessas palavras até hoje, como as pratico sempre que necessário, no trabalho e na vida.

Conviver diariamente com pessoas que nem sempre fazem parte da nossa simpatia é difícil, quando se é jovem aceitar o que os mais experientes dizem é pior ainda, mas como hygge prescreve, não podemos mudar todas as pessoas, mas podemos aceitar os seus defeitos, encontrando uma maneira de lidar com eles, afinal todos os temos e esse é o grande aprendizado: respeitar, saber ouvir, refletir e saber separar o bom e o ruim de cada um com quem convivemos e usar ambos a nosso favor e em favor dos outros, a fim de não sermos apenas reflexo, mas pessoas que sabem discernir e praticar o lado bom do que se aprende.

Esforce-se para se relacionar bem com seus colegas, esteja mais receptivo e disponível em ajudar e receber ajuda, seja mais colaborativo, cuide a entonação de como fala, quando chegar dê um bom-dia sincero, vindo do coração. Crie tempo para as pessoas, saia para almoçar com seus colegas, é uma boa oportunidade para conhecer um pouco mais com quem você convive diariamente.

 

                             Ok, muito lindo, mas como colocar toda essa “poesia” em prática?

Você precisa criar uma atmosfera tranquila dentro de você, onde quer que você esteja. Um dia tem 24h, não podemos ser ingênuos em achar que em todo esse tempo (acredite 24h é muito tempo) iremos estar apenas com quem amamos e iremos fazer apenas o que nos dá prazer. Passamos a maior parte do nosso dia no trabalho e precisamos encontrar a satisfação, por muitas vezes o ambiente pode ditar regras diferentes, mas depende de nós encontrar a felicidade em nossas tarefas, e isso é hygge, a felicidade no trabalho realizado é qualidade no tempo que está ocupado com ele.

Respeite o tempo das coisas, 08h são para trabalhar, 08h de sono, nos restam outras 08h para fazermos outras atividades que escolhemos fazer, mas dessas horas que sobram tire pelo 2h para fazer algo que realmente te realiza: ler um livro, brincar com seus filhos, vá correr, caminhar, fazer uma boa refeição, degustar um vinho, enfim curta a si mesmo e a sua família. Bater metas além de ser muito bom é fundamental no trabalho, mas trabalhar aceleradamente todos os dias não é humano, seja gentil com seu corpo e sua mente, pior é ter que parar obrigatoriamente de uma hora para outra. Organize suas tarefas, tente não ficar depois do horário todos os dias.

Sinta-se confortável com o que você tem no momento atual, almejar e ambicionar são sentimentos saudáveis, eles nos movem ao crescimento, porém a ganância nos destroem como indivíduos. Trabalhe, dedique-se, sonhe e vá a luta para conquistar, mas não trapaceie; chegue no pódio em paz com sua consciência. Não seja um colecionador de troféus, seja feliz com o que tem nas mãos.

Na Dinamarca, Suécia e Islândia, países que usufruem o hygge são classificados como a população mais feliz do mundo e o desempenho de tamanha satisfação é devido a saúde, o valor a vida e a unidade social. Eles também fazem uso da palavra arbejdsglaede, que significa “felicidade no trabalho”.

Nesses países o trabalho não é apenas uma maneira de ganhar dinheiro, mas também um motivo de alegria, contentamento e completude. Você também pode tentar encontrar o seu próprio arbejdsglaede e ir acalmando as tempestades internas e ao seu redor, distribuindo bondade, sorrisos e gentilezas.

 

Crie um espaço de higiene mental e não permita que esse espaço seja invadido, mantenha-se longe dos conflitos externos, já temos os internos para superar.

 

Eleve sua sintonia e dê ênfase ao que merece real atenção naquele momento, e estando no escritório essa atenção é o seu trabalho. Praticar o hygge é a chave para você sobreviver aos maus desse século: estresse, ansiedade e depressão. Veja as coisas sob uma óptica mais otimista, torne seu espaço mais leve e confortável, será transformador para você e os que o rodeiam.

 

 

Sou Flavia Machado Okuyama, e trabalho com Marketing de Relacionamento com o Cliente, porque acredito que as relações humanas são a peça fundamental para melhores negócios. 

Gestora da Class Marketing, uma empresa que ajuda marcas a fazerem a diferença na vida das pessoas.

Quer receber meus conteúdos? Clique aqui e não perca as novidades.

CompartilheShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter