fbpx

Nesses dias entre final e início de ano são aqueles momentos em que em meio a tantas mensagens conseguimos prestar atenção em alguns sinais e repensar sobre o que estamos fazendo e onde queremos chegar, então para os próximos dias que virão a reflexão é: qual o seu papel na vida das pessoas que te cercam?

E por acaso ou não, assisti um filme sobre a vida do Papa Francisco, disponível no Netflix – Pode me chamar de Francisco – que independente de crença nos traz uma história sobre a vida e obra de uma pessoa até então comum, que hoje é uma grande figura pública. Mas até chegar onde chegou como foi? O final do filme você já conhece, foi o início de uma nova história para um senhor em vésperas de aposentadoria, mas tenha certeza que ao longo do caminho nem sempre suas escolhas foram as mais assertivas, muitos “sapos foram engolidos” e como ele mesmo diz em uma passagem:

“É preciso ter muita paciência, imagine eu queria ir para o Japão e tive que dar um passo a trás. Um passo atrás, um passo a frente e um passo pequeno a frente e dois atrás. Mais um passo grande a frente. O lugar que conseguimos chegar será a soma de todos esses passos, é o resultado da caminhada de todos esses anos.”

Jorge Mario Bergoglio, Papa Francisco

 

Dos 198 minutos assistidos, somados as minhas reflexões conclui que nosso papel consiste em fazer nosso melhor todos os dias, cada 24h é uma oportunidade de construir algo útil, trabalhar cansa, mas não necessariamente deva ser um fardo. Não saia de casa pensando somente que precisa se sustentar, trabalhe porque diariamente temos a chance de ajudar alguém e a nós mesmos, nossa família, pois esse é o nosso legado para nossos filhos, a futura geração.

A atual geração que ingressa no mercado de trabalho já vive um momento em que todos os dias precisam ser surpreendentes e que o cotidiano é entediante, dispensam começar de baixo ou eu diria, adquirir experiência. Logo na entrevista de emprego já se veem gerentes, diretores, presidentes, enfim pensam que apenas o estudo e certificados dão cargos, quando esses não dados, precisam ser conquistados, e a conquista se alcança com resignação e humildade em aprender. Todos nós somos instrumentos de aprendizado uns para os outros.

Obviamente que o estudo e a qualificação se fazem necessários, mas só as adversidades darão a experiência, é importante compreender que não existe trabalhos superiores ou inferiores, todos servimos uns aos outros. Quando empregados, servimos a um gestor, o que poucos se dão conta é que quando estamos gestores ou empresários também servimos: ao cliente.

Logo o centro de tudo é, e sempre será o cliente, afinal ele detém o poder da decisão. E tudo é venda, o artista plástico não vive apenas de sua arte, mas da venda dela. O ator diz que se realiza quando atua, porém precisa vender a peça para ter sucesso, e obviamente dinheiro. O agente da limpeza, precisa ser minucioso em seu trabalho, pois se não o fizer bem feito terá dificuldades em vender seus serviços. Veja que todos somos artistas, ela consiste em fazer com alma, seja qual for sua profissão.

 

“Quem planta tâmaras não colhe tâmaras. Isso porque as tamareiras levam entre 80 a 90 anos para darem frutos.”

 

Cultive e plante ações que não sejam apenas para você, mas que sirvam para todos, e apesar do dito popular dizer que os frutos demoram para ser colhidos, não são impossíveis e os benefícios da plantação você já usufrui desde seu crescimento da árvore. Assuma a postura de sentir satisfação em seu ofício, grandes feitos podem ser realizados todos os dias por pessoas comuns, não espere o cedro e a coroa para mudar a própria vida e das pessoas que o cercam.

Tenha em mente que relações bem estabelecidas podem ser para toda caminhada, os clientes podem abrir portas ou ainda lhe acompanhar onde você for, dissabores no dia a dia fazem parte da vida de todos, mas seja um agente facilitador do cliente que o escolhe. No caminho para o trabalho ao invés de ir alimentando negatividade questione-se: O que posso fazer de bom hoje? Será que posso fazer melhor do que ontem? Não tenha apenas um emprego, tenha um trabalho, pois a profissão dignifica e edifica o ser humano.

 

Sou Flavia Machado Okuyama, e trabalho com Marketing de Relacionamento com o Cliente, porque acredito que as relações humanas são a peça fundamental para melhores negócios. 

Gestora da Class Marketing, uma empresa que ajuda marcas a fazerem a diferença na vida das pessoas.

Quer receber meus conteúdos? Clique aqui e não perca as novidades.

CompartilheShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter